Translate

sábado, 5 de maio de 2012

Força, Rapaz!

Aquele trecho da mata era bastante íngreme.O chão, forrado de folhas secas e orvalhadas; as árvores, com suas copas frondosas se entrelaçando, abrigando as mais diversas variedades de aves, com seus gorjeios e matizes, faziam aquele trecho da selva permanecer na penumbra, filtrando os multicoloridos raios do astro-rei. Ele caminhava a uns vinte passos à minha frente. Eu, criança, sete anos de idade, apesar de na maioria do tempo estar correndo, não conseguia me aparelhar com aquele robusto homem - meu pai. Por vezes, ele parava para me esperar, mas, quando me aproximava, reiniciava suas passadas rápidas, largas e cadenciadas, fazendo-me distanciar outra vez. Era mais uma de suas caçadas em que ele me levava consigo, talvez para servir-lhe de companhia, ou para transmitir-me o gosto pela arte da caça. O medo de ficar para trás ou me perder, forçava-me a correr, a fim de manter-me o mais próximo possível. Como disse no início, o chão por onde caminhávamos, era uma subida bastante inclinada; o chão, coberto de folhas molhadas, dificultava nossa escalada, especialmente a minha. Vez por outra, dava um passo à frente, escorregava, caía e rolava para trás. Em certa ocasião, após me refazer de uma desta quedas, olhei para cima e não o avistei. Talvez por vergonha ou querendo provar minha coragem, não o chamei. Apenas enterrei as pontas das botinas no chão para dar maior firmeza ao caminhar, impulsionando o corpo com as mãos no chão, saltando por cima de tocos, galhos quebrados, tocas de tatus, consegui chegar até ao meio da subida. Olhei outra vez para o alto, então avistei a silhueta de meu pai contra a luz dourada do sol que já se punha, e num sorriso, dizer: "Força, rapaz". Ele sempre foi um homem de poucas palavras, e de sorrisos, menos ainda. Aquele sorriso, aquelas palavras, serviram para impulsionar o término de minha escalada. Ofegante, com as roupas empapadas de suor, coloquei-me lada-a-lado com ele. Nosso cachorro vira-lata - que parecia um dálmata tupiniquim, mais baixo, mais gordinho, ótimo caçador e nadador, saltava e latia, feliz, como a aplaudir-me, pois, quando eu estava "na luta", subindo o morro escorregadio, percebi que ele, por várias vezes, subia e descia desesperadamente, querendo acudir-me. Bem, nós três, (meu pai, o Corrente e eu),retomamos nossa caminhada, agora, menos apressada, pois conseguia me manter a uns dois passos logo atrás de meu pai, caminhando pelas trilhas, pinguelas e pontes. O Corrente, por vezes, sumia, mas voltava logo depois, saltitante e feliz. Bem, esta é apenas UMA das recordações felizes de meu querido pai, que mesmo sendo de poucas palavras, trabalhador, humilde e analfabeto, deu-me bons exemplos para seguir, base sólida para viver sobre este chão, por muitas vezes, instável, mas seu exemplo de coragem, fé, honestidade, fez firmar meus passos para levar-me ao caminho da Integridade, o qual todos nós precisamos trilhar.

7 comentários:

JR disse...

Olá, cantor Carlos Paulyno, tudo bem?
Fiquei muito emocionado com esta postagem. Perdi meu pai quando eu ainda era criança, mas me lembro que ele foi um bom pai para mim e minhas irmãs. Deus te abençoe. Meu nome é José Ricardo

Ângela disse...

Olá, irmão Carlos Paulyno, sou a irmã Ângela da Igreja Assembléia de Deus - ministério Ipiranga, na Casa Verde. Você já veio louvar aqui e foi uma bênção para dos nós. Seu blog é uma bênção e suas mensagens estão cada vez melhor. Sempre que posso faço uma visita a seu blog e recomendo a meu amigos. Ahh, e quando é que você vai voltar aqui na nossa igreja? Abraços e a paz para você e a familia.

Bruna disse...

A paz do Senhor, sou a Bruna da A. de Deus do Livieiro. Você já louvou aqui na minha igreja e foi uma bênção. Parabéns por mais esta postagem. Eu e minha família nos emocionamos muito. Fique com Deus!

toninhomais disse...

A paz do Senhor, irmão, gostei muito desta postagem e gosto muito de seus louvores. Moro aqui em Salvador (BA), e seria uma honra têr o senhor-lo aqui para louvar a Deus com a gente!

carlos paulyno disse...

Obrigado a todos pelos comentários. Deus os abençoe.

matemática é isso aí !!!!!!!!!!! disse...

TUDO EM PAZ IRMÃO??ESTOU POSTANDO UM DOCUMENTÁRIO REFERENTE A TESE DO MEU MESTRADO DE UMA OLHADA NO LINK.QUEM SOMOS NÓS?

http://youtu.be/WDXFRvbe2VY

carlos paulyno disse...

Olá, amigão, dei uma olhada no documentário. Na física das possibilidades, na busca por si mesmo, o homem sempre encontrará a si mesmo. Bem, esta é minha opinião. Abraço!